A Bateria da Águia

O CORAÇÃO DA ESCOLA

É a bateria quem dita o ritmo de todo mundo na avenida.

Olhando o desfile vemos uma grande orquestra em movimento:

O surdo é o instrumento mais grave da bateria com seus três tipos: o de primeira, o de segunda e o de terceira. Depois vem os instrumentos considerados intermediários: a caixa, o repique, ou repinique. Finalmente os agudos: o tamborim, a cuica, o agogô e o chocalho.

 

A posição de cada ritmista na avenida é cuidadosamente estudada pelo Mestre Juca (mestre da bateria), que posiciona os instrumentos da forma que ele acha melhor.

Além da organização, a bateria da escola também se diferencia pelas paradas e, claro, pelos arranjos.

 

O resultado é que não tem quem consiga ficar parado do lado da bateria da Águia de Ouro.

Os principais instrumentos que compõem a Bateria da Águia de Ouro

O Mestre Armando Guerra (Mestre Juca) explica os instrumentos da nossa bateria e o papel de cada um no ritmo do samba.

Clique nos instrumentos e saiba um pouco mais sobre a função de cada um.

TAMBORIM
Bateria | Tamborim

Instrumento agudo, que dá brilho a bateria, desenhando frases na melodia do samba.

TAMBORIM
cursor_PNG42_edited.png
SURDO DE PRIMEIRA
Bateria | Surdo de Primeira

É o maior surdo e o que dá o andamento principal ao samba, servindo como base de todo o ritmo. Sua afinação é grave.

SURDO DE PRIMEIRA
cursor_PNG42_edited.png
SURDO DE SEGUNDA
Bateria | Surdo de Segunda

É a resposta ao surdo de primeira. Serve como sustentação para o samba no momento em que o surdo de primeira está “parado”. Sua afinação e aguda.

SURDO DE SEGUNDA
cursor_PNG42_edited.png
SURDO DE TERCEIRA
Bateria | Surdo de Terceira

Toca no intervalo dos surdos de 1ª e 2ª em contratempo. Sua afinação depende da característica de cada bateria, podendo ser aguda ou agudíssima.

SURDO DE TERCEIRA
cursor_PNG42_edited.png
CHOCALHO
Bateria | Chocalho

Com seu som agudo, além de proporcionar swing, ajuda na sustentação da bateria.

CHOCALHO
cursor_PNG42_edited.png
REPINIQUE
Bateria | Repinique

É bastante utilizado nas paradinhas e nas viradas do samba, como “senha” para a volta dos demais instrumentos. Sua afinação é aguda.

REPINIQUE
cursor_PNG42_edited.png
CUICA
Bateria | Cuica

Seu andamento é dependente da marcação dos surdos, que são seguidos pela cuíca que dá brilho e cadência ao samba.

CUICA
cursor_PNG42_edited.png
AGOGÔ
Bateria | Agogô

Na batucada da bateria há um som com definição única e cadenciada nas notas ré, sol e si. Também dá brilho a bateria, sendo executado em frases na melodia do samba.

AGOGÔ
cursor_PNG42_edited.png
CAIXA
Bateria | Caixa de Guerra

Marca o andamento, mas permite floreios que não ocorrem nos surdos. Dependendo da levada, as afinações podem variar de aguda a médio grave, costuma ser a identidade de cada bateria.

CAIXA
cursor_PNG42_edited.png

Com 27 anos na frente da bateria, o Mestre Juca explica-nos o significado de alguns dos termos mais utilizados pelos ritmistas e mestres de bateria das escolas de samba do carnaval de São Paulo.

001.png
ANDAMENTO

É o número de batimentos por minuto (BPM) levando em consideração a medição da pulsação das batidas do coração humano. Termo muito utilizado para medir o andamento musical. As baterias costumam tocar entre 140 a 152 bpm.

record.png
APAGÃO

É o famoso 'paradão', quando a bateria para de tocar durante um refrão inteiro para que os integrantes da escola cantem a capela. No apagão, a volta da batucada se dá depois de um bom espaço de tempo.

003.png
BPM

BPM ou Batimentos por Minuto, é uma velocidade rítmica que leva em conta a velocidade das batidas do coração por minuto. Os BPMs são calculados com o auxílio do metrônomo.

005.png
EQUALIZAÇÃO

É o equilíbrio do som. A ideia da equalização é fazer com que se possa escutar o som de todos os instrumentos em harmonia.

002.png
METRÔNOMO

Uma espécie de relógio, o metrônomo é um aparelho utilizado para medir os batimentos por minuto.

O metrônomo fica com o diretor musical para garantir o mesmo andamento durante os 65 minutos de desfile.

008.png
MAPA DA BATERIA

É a forma como os instrumentos estão posicionados dentro da bateria. Antigamente, todos os ritmistas se juntavam e tocavam numa espécie de cortejo.

Com a introdução do mapa, começou a se definir onde vai ficar cada instrumento.

007.png
NAIPES

Termo muito utilizado nas orquestras mas que foi introduzido ao carnaval.

Nas baterias, os naipes são o grupo formado por um determinado instrumento. Tem naipes de tamborins, naipes de caixas, naipes de surdos, etc.

004.png
PARADINHA

Seja paradinha, breque, bossa ou convenção... É o momento em que todos os ritmistas param de tocar. Mas, de repente, o repinique chama o samba e a bateria volta no mesmo andamento.

006.png
VIRADA

E a finalização de determinada parte do samba mais frequentemente depois dos refrões, com retomada no tempo, podendo também ser usada para finalizar a bateria.